Av. Álvares Cabral, 414 - Centro - Belo Horizonte 30170-000 - MG - Brasil Tel: 55 31 3218 2400

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon

Novo espaço gastronômico projetado pela GPA&A

O Mercado da Boca está prestes a ser inaugurado trazendo um novo destino para os apaixonados pela gastronomia. O espaço de 4.000 m², projetado pelo escritório do arquiteto Gustavo Penna em parceria com a Arlo e a Bloc, traz um ar de quermesse, de barraquinha - a própria vila da comida.


Foi no jeito mineiro de conviver e de comer que os arquitetos buscaram inspiração para os detalhes que prometem dar o que falar. Tem torre de panela no salão, estandes com chaminés, luzinhas de interior, arquibancada de horta. Elementos que nascem como uma brincadeira e representam a dimensão lúdica da arquitetura. É nessa busca dos símbolos que compõem o universo da comida e do mercado, que a GPA&A trouxe para os ambientes a paleta de cores do quadro "A Última Ceia", de Manuel da Costa Ataíde. Ataíde é um grande artista barroco, contemporâneo do mestre Aleijadinho e conhecido por dar feições mestiças aos personagens, podendo ser considerado um dos precursores da arte brasileira.


Um detalhe tem chamado a atenção nas redes sociais: a torre de 9 metros de altura, composta de uma sequência vertical de panelas, integrando os dois pavimentos.
A torre foi colocada no ponto central, um obelisco que gera convergências, atrai olhares e conecta um andar com o outro. É um ponto de referência, onde as pessoas combinam de se encontrar.


As panelas são uma homenagem a tudo que o Mercado da Boca oferece: milhares de sabores, pratos e possibilidades. Para fazer o monumento, foram necessários 47 utensílios. “Panela, panelinha, panelaço. Todas as panelas do mundo estão ali. A comida que saboreamos vem dela. É nela que é feita a alquimia da comida, onde a mágica acontece”, diz Penna.


Coroando a torre de panelas, está a maior das ferramentas da cozinha: uma colher de ouro. Afinal, cozinhar é um ato de generosidade, de gentileza com o outro”, conclui.
Batizado pelo próprio Gustavo Penna, o nome Mercado da Boca é simples, direto e potente e traz a palavra que resume tudo: a boca. É nela onde entra a comida e sai a conversa. Um nome que está na gastronomia de uma forma muito natural.


A identidade e a sinalização foram criadas pelo designer Gustavo Greco. “Para a identidade do Mercado da Boca, tomamos como ponto de partida as iniciais D e B (da boca). Ao juntarmos uma na outra, a boca símbolo do mercado foi criada.”
O prédio, já existente, abrigava o Jardim Casa Mall, idealizado pela BLOC Arquitetura e pela Arlo Arquitetos. O espaço possibilitou a criação de um ambiente integrado e cheio de possibilidades.


O Mercado da Boca estará de portas abertas no próximo mês e contará com grandes operações como cervejarias, adega de vinhos com dezenas de rótulos, restaurantes com chefs renomados e muito mais. Por ser uma cidade do sabor, todo mundo está convidado. A proposta é oferecer uma experiência única, democrática, com várias opções de comida, bebida e produtos em um ambiente confortável e descomplicado.

 

 

 

Compartilhar
Curtir
Please reload