Gustavo Penna é finalista, pela segunda vez consecutiva, do World Architecture Festival


A Casa dos Lincoln (Manacás) possui 840m² de área construída e foi concluída em dezembro de 2009. A obra está a 1.200 metros de altitude e destaca-se pela interação com a natureza. Os espaços de convivência se articulam em um espaço aconchegante e as funções de apoio estão localizadas no nível inferior da casa, com um corredor que liga as áreas de serviço e íntima. A casa utiliza pouca diversidade de materiais, mas com formas sólidas, larguras e alturas que variam junto com a luminosidade, paisagens, enquadramentos e perspectivas do local.

A área interna possui portas e painéis em madeira com acabamento envelhecido fosco, o que garante um ar de sobriedade e elegância ao projeto. Os quartos e demais dependências tem piso, estantes, armários, gaveteiros e closets com o mesmo tipo de acabamento. O forro, em gesso, com acabamento em pintura látex, cor branca fosca, garante a leveza das formas da casa e a unicidade de materiais.

A organização do evento selecionou 150 projetos para o shortlist, que inclui, ainda, trabalhos de outros quatro escritórios brasileiros. Na edição de 2009, Gustavo Penna foi classificado em sétimo lugar com o projeto do Memorial da Imigração Japonesa, erguido no Parque Ecológico Lagoa da Pampulha, mesmo local onde Oscar Niemayer criou seu primeiro complexo arquitetônico, hoje uma referência da arquitetura moderna mundial.